Novas Equipes, Novos Desafios


Carro da Lotus

Como falei umas semanas atras, aproveito essa pausa da F-1 para falar de assuntos pertinentes deste começo da temporada. Hoje, comnentarei meus pareceres sobres as novas equipes, e seus intermiveis problemas. Devo lembrar que todos os projetos praticamente sairam do zero para a pista em 6 meses. A Toyota em seu 1o. ano ficou no fim do grid, com um projeto de 15 meses. Sendo assim, temos de pensar que todos que estao la sao vencedores de certa forma, pois colocaram carros no grid em poucos meses, mesmo que “aos trancos e barrancos”.

Começo pela Lotus. Esta equipe é de origem e propriedade malaia, mas carrega o nome e a tradiçao de um nome que revolucionou o esporte a motor. De Jim Clark a Ayrton Senna, os carros de Colin Chapman revolucionaram o mundo, mostrando a importancia do conceito aerodinamico nestes maravilhosos carros. Assim, dois empresarios malaios resolveram retirar da tumba o nome lendario e começaram uma nova empreitada. Das novas equipes, é a que mostrou melhor rendimento, sempre estando a frente desta “Categoria B” da Formula 1. Conta com 2 pilotos experientes em seu plantel: o experiente Jarno Trulli e Heikki Kovalainen. Alem de contar com esse conhecimento adquirido de seus pilotos, foi a que fez menos alarde e por isso deve estar colhendo os frutos de um trabalho silencioso. Afinal, cao que ladra nao morde, ne?

Virgin Racing

Falemos agora da Virgin Racing. Equipe baseada na estrutura da Manor Racing, de John Booth, entrou na F-1 com um projeto barato, porem muito audacioso: ter o carro inteiramente projetado em CFD (Computer Fluid Dynamics), programa de computador que simula todos os efeitos hidro e aerodinamicos nos componentes. O objetivo foi fazer um bolido que nao usou um minuto sequer de tunel de vento. Eu, como engenheiro, fiquei e ainda estou de olho nesse carro, pois no caso de ser um sucesso ele vai ser uma outra revoluçao na categoria, que diminuiria demais os custos do projeto de um carro, ja que tuneis de vento seriam praticamente desnecessarios. O que vimos ate agora foi um carro com os mesmos problemas de pouco desenvolvimento dos outros, mas com desempenho parecido levemente abaixo da Lotus. Tambem se mostrou um carro de baixissima resistencia, mas provado que a maioria deles vieram de erros de engenharia, normais para um projeto que partiu do zero, levando a crer que o conceito de fazer um carro todo em CFD nao é assim tao impossivel. Continuarei observando e esperando eventuais surpresas e/ou constataçoes. Como pilotos, temos Timo Glock e o brasileiro Lucas di Grassi. Timo é, na minha opiniao, um dos mais talentodos pilotos da categoria, apesar de nao ter la muitos resultados. Em todas as categorias que correu teve bons resultados, incluindo um tiotulo da GP2 e um titulo de Rookie do ano na extinta F-Mundial. Ja Lucas pode nao ter experiencia em corridas, mas tem milhares de quilometros rodados em carros de F-1, pois era um piloto do Programa de Desenvolvimento da Renault, sendo piloto reserva direto e piloto de testes da equipe por varios anos seguidos. Enfim, apesar dos pilotos jovens, sao gente que tem alguma experiencia e nao estao saindo do zero.

Hispania Racing Team

Deixei a Hispania por ultimo, porque ela é uma historia um pouco controversa. Inicialmente ela seria de Adrian Campos, ex-piloto espanhol e dono de equipe em outras categorias do automobilismo. Mas este jogou na chance de conseguir um patrocinio e nao conseguiu. Vendeu seus direitos ao empresário espanhol José Ramón Carabante, que continuou seu trabalho, fundando a mHispania Racing Team. O problema é que, diferente das outras, sua situaçao foi resolvido apenas no final de janeiro deste ano, fazendo todos os trabalhos em cima da hora. Diferente das outras, investiram em 2 talentos estreantes: o brasileiro0 Bruno Senna e o indiano Karun Chandhok. Senna entrou no time, alem de seu talento ja comprovado, tambem pelo nome Senna que pode puxar algum patrocinio. Diferente das outras equipes, seu chassis vieram de uma empresa independente, a conceituada fabricante Dallara, e nele confere a maior parte da polemica desse time. Devido as incertezas de Adrian Campos, o projeto começou e parou, continuou e parou mais umas vezes, prejudicando todo o trabalho. Muitos culpam a fabricante pelo fracasso (incluindo gente la dentro, como Geoff Willis), mas nao vejo dessa forma. Poderiamos citar o pouco tempo de desenvolvimento de um chassis quase que oriundo do zero, que foi problema para todos, mas ainda assim o time esta no mesmo nivel de desempenho das outras novatas. E isso porque ninguem esta levando em conta que, com todos estes percalços do projeto, muitas peças nao puderam ser produzidas em fibra de carbono, sendo estas feitas em aço, material muito mais pesado. Comenta-se que a Hispania ganharia em torno de 1 a 1,5 segundo por volta com a implantaçao dessas peças “corretas” e estas seriam implantadas no proximo GP, se assim o fizerem. O que me leva a crer que, se tivesse o desenvolvimento correto, direito e com um investimento decente (nem falei alto, falei apenas decente), vejo que este chassis estaria tendo desempenho de uma equipe media. Sendo assim, muita gente esta jogando pedras no desempenho dos chassis Dallara, mas nao esta levando em conta todos os problemas que eles vem encarando nos ultimos 5 meses. Muito se falou tambem do erro do tanque de combustivel, que nao tinha partiçoes, parecendo que tinha literalmente um tanque de agua nas costas. Um erro crasso, nao se pode negar. Mas prefiro responder com exemplos praticos: os Dallara usados na Indycar sao chassis lentos? Os Dallara usados na Daytona Prototype sao chassis lentos? O mundo ja cansou de ver carros da Dallara no alto do podium e continua vendo. Eles tem sim conhecimento e capacidade para fazerem algo grande, mas para partir do zero, é necessario tempo para um bom trabalho. resta saber se eles mesmos vao agir dessa forma a partir de agora. A observar.

Na proxima temporada, teremos a abertura de mais uma vaga para equipe nova. De candidatos, temos a Stefan GP, a Durango e a Epsilon Euskadi. A Stefan tentou entrar nessa temporada com chassis da Toyota para esse ano, mas como conta com a antipatia total da FIA, por ter em seu corpo de engenheiros Mike Coughlan, que foi envolvido no escandalo de roubo de informaçoes da Ferrari para a McLaren em 2007, nao conseguiu. E nao deve entrar no ano que vem. A Durango sempre foi a “prima pobre” da F-3000 e GP2. Esse ano nao corre la e esta tentando entrar na F-1. Esta sendo olhada como motivo de piada pois, se nao foi bem nas categorias de base, nao se espera correr bem na F-1. Ja a Epsilon é a minha favorita. Seu criador foi engenheiro de McLaren nos anos 80 e hoje tem todo um centro tecnologico, que faz seus proprios chassis para a disputa da Le Mans Series. Tem o know how e toda a capacidade para fazer seu proprio chassis sem segredos. Seria uma entrada bem vinda a categoria, eu acho!

***

Neste sabado teremos a Indycar no Kansas, oval de 1,5 milha, primeiro da temporada. A disputa la deve ser como a NASCAR em Talladega, com os carros todos juntos, roda a roda ate a ultima volta. Acredito que teremos uma disputa ate o final. Quero dizer, se a chuva deixar, ne? Agora sim devemos ver a Chip Ganassi saindo do ostracismo, visto que sua especialidade é ovais de 1,5 milhas. Vale a pena acompanhar.

GP de Kansas: Sabado, as 15 hs na Band

Anúncios

Tags:, ,

About Carioca

Engenheiro Mecanico, adoro carros e esportes (a soma tambem conta).

5 responses to “Novas Equipes, Novos Desafios”

  1. Bruno Rosik says :

    Boa! Sempre é bom info sobre a f1 desse modo legal como vc expõe!
    Aliás, essa virgin me lembrou a gravadora Virgin mesmo, eita.

  2. Carioca says :

    Mas é! É do mesmo dono, o bilhonario Richard Branson. Na real, a Virgin é um grande conglomerado, que tem a gravadora, uma empresa de aviaçao comercial, tem uma grife tambem. E ta com uma campanha de mandar gente para uma viagem ao espaço. O Rubinho (que ja foi patrocinado por ele ano passado na Brawn) ja comprou o ticket dele^^

  3. Bruno Rosik says :

    Nossa, então o marketing visual dele tá perfeito! Fez lembrar bem a marca! uia!

  4. Rua Gente Boa says :

    Oi Carioca gente boa, beleza?
    Conhece algum blog bom como o de vocês, com uma galera jovem que goste de futebol, cerveja e Copa do Mundo, mas que seja carioca?
    Estamos com uma promoção no Rio de Janeiro para pintar toda a cidade de verde, amerelo, branco e azul e queremos saber de parceiro blogueiros para entrar na ação.
    Se tiver alguma dica mande um e-mail pra gente?
    Abraço!

  5. Bruno Rosik says :

    Vou avisar o Carioca sobre esse comentário! abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: