Final da Superliga Feminina


Sollys/Osasco, campeao da Superliga

Antes de tudo, muitos me pediram esse post e acabei demorando a faze-lo, devido a acontecimentos esportivos e agenda pessoal. Enrolei, mas vamos ao que interessa.

Domingo passado tiveis a final da Superliga Feminina de volei, com vitoria um tanto quanto esperada de Osasco. Esperada, devido a sua campanha e ao fato de decidir em casa, junto a sua torcida. Mas se ha uma odisseia para uma conquista, pode-se colocar um capitulo a parte para Luizomar de Moura e seu Osasco.

O time de Osasco é o mais tradicional da Superliga, mas a partir de 2005 começou a ter um rival a altura (diria, ate acima dele): o Rio de Janeiro, patrocinado pela Unilever. Com um investimento pesado, repatriaram jogadoras da seleçao e o tecnico Bernardinho. Resultado disso foram 4 titulos seguidos da Superliga e os 4 em cima do time de Osasco.

Bernardinho, tecnico do Rio/Unilever

Para explicar essa “virada de mesa”, vou recorrer a uma explicaçao que fiz ao Marcao nessa semana: Desde o começo dessa rivalidade, o time do Rio sempre teve uma leve vantagem, como se fosse um limiar de uma balança. Essa vantagem nao estava na força de seus times, que estavam sempre num nivel praticamente igual, mas sim no seu tecnico. Jamais desmerecendo Luizomar de Moura, tecnico do mais alto nivel, mas que nao é um genio como Bernardinho, que revolucionou (e ainda o faz) a maneira de jogar volei. A mudança de forças ocorreu na ultima pre-temporada, com a mudança de Thaisa e Sassa para Osasco e Carol Gattaz para o Rio. A saida da Thaisa nao mudou nada no time, ate porque vejo na Fabiana uma meio-de-rede muito mais eficiente, mas o que o Rio sentiu foi a saida da Sassa, uma jogadora de outro nivel, daquelas que se joga a bola no momento mais dificil para garantir o ponto. Essa mudança fez o limiar da balança pender para Osasco, fazendo a melhor campanha e ganhando o titulo merecidamente.

Osasco, alias, que passou por maus momentos logo apos o fim da penultima Superliga, quando o Bradesco aunuciou a cisao da parceria que perdurava por mais de uma decada. Com a cisao, o futuro do time ficou indefinido, chegando inclusive a anunciar o fim desse tradicional time, devido a falta de verbas. Mas num esforço conjunto da diretoria do time e do tecnico, conseguiram o patrocinio da Nestlè, atraves da recem-lançada marca Sollys. Essa nova parceria garantiu a existencia desse colosso do volei nacional, que, assim como o time de Franca no basquete, deveria ser um patrimonio nacional, dados os beneficios queeste trouxe para o esporte.

Como bom carioca que sou, logicamente torci pelo time da minha cidade, mas nao posso deixar de bater palmas para essa conquista merecedissima de Osasco, que driblou um iminente final para conquistar a Superliga logo em seguida.

PARABENS SOLLYS/OSASCO!!!

PS: E pensar que o Bradesco ficou no time por tantos anos e nao conquistou nada e logo que sai o time é campeao. Seria destino ou atitude?

Anúncios

Tags:, , , , , ,

About Carioca

Engenheiro Mecanico, adoro carros e esportes (a soma tambem conta).

3 responses to “Final da Superliga Feminina”

  1. Bruno Rosik says :

    Parabéns mesmo Osasco! Ninguém aguentava mais ver o rio campeão! Hegemonia não é legal pro esporte!
    Parabéns!

  2. Carioca says :

    Ninguem, VIRGULA!!! Pq eu tava adorando XD

  3. Bruno Rosik says :

    Esses Cariocas… kkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: